Voltar para Página Home

Institucional
Estratégias de Atuação

 ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÂO

 

A Mais Diferenças, dado o contexto geral da inclusão, da educação e da cultura inclusivas, vem enfrentando o desafio do acesso e participação das pessoas com deficiência nas mudanças da sociedade, buscando atingir sua Missão.

Para tanto, atuamos em quatro linhas estratégicas, que pensadas e implementadas de maneira articulada e sinérgica, ampliam e aprofundam nosso impacto na sociedade, bem como auxiliam na construção de uma organização sólida e sustentável. São elas:

 

- Assessoria para a implementação de políticas, programas e projetos de educação e cultura inclusivas;

- Produção de conhecimento;

- Incidência em políticas públicas inclusivas, numa perspectiva de direitos humanos;

- Produção de bens, serviços e produtos educacionais e culturais acessíveis.

 

A construção da educação e cultura inclusivas demanda, necessariamente, a elaboração de estratégias que criem as condições para que mudanças estruturais possam ser implementadas.

A elaboração dessas estratégias parte de uma análise dos problemas. Levando em consideração os sistemas em seu conjunto e sua realidade, inicia-se o processo para levantamento de quais são as causas e os fatores, as variáveis explicativas e as relações entre elas que nos levam a este problema. Aspectos como contextualização histórica, indicadores quantitativos e qualitativos, ambientes e estruturas organizacionais e políticas, aspectos normativos e financeiros são contemplados para fornecer um quadro amplo da situação inicial.

Com este mapeamento inicial realizado, partimos para a construção dos objetivos a serem alcançados. Através de um processo de diálogo com os diferentes envolvidos, em que se expressam vozes e perspectivas múltiplas, com diferentes interesses e possibilidades, elaboram-se as bases para os acordos e geração das condições que assegurem a factibilidade e a sustentabilidade das ações propostas.

Com a situação inicial estabelecida e os objetivos acordados, mapeamos os centros críticos dos problemas. As causas mais relevantes e viáveis de serem trabalhadas são elencadas, os diferentes níveis de prioridade e complexidade são criados e os prazos e indicadores de acompanhamento estabelecidos. Intervir nos pontos críticos possibilita que alterações significativas nas redes de relações e de produção dos problemas sejam alcançadas.

Com essas grandes diretrizes de trabalho criadas, as ações são pensadas de forma articulada através dos cinco eixos de trabalho em que atuamos: Assessoria à Gestão, Formação, Acessibilidade, Comunicação e Monitoramento e Avaliação.

 

ASSESSORIA À GESTÃO

A implementação de uma política inclusiva demanda uma mudança na lógica de gestão, alterando a visão segmentadora (seja por área de conhecimento, seja por tipo de deficiência) para uma visão integrada. As diretrizes, planejamentos, concretizações e acompanhamento dessas políticas precisam ser efetivadas em planos de implementação, definindo-se prioridades e metas de curto, médio e longo prazos. Além disso, os processos de gestão também precisam ser revistos, bem como de funções, responsabilidades e papéis, gerando impactos em toda estrutura da instituição.

São trabalhadas com as equipes de gestores as necessidades e desafios para a implementação das políticas inclusivas e para a criação de metas e prioridades, tanto do ponto de vista jurídico, organizacional e institucional bem como das mudanças nas relações e na gestão dos diferentes segmentos da política.

Algumas Ações Desenvolvidas:

- Articulação de diferentes setores, políticas, programas e projetos;

- Criação de estratégias de acompanhamento dos processos de implementação;

- Assessoria para a construção de novos processos de gestão;

- Suporte para avaliação, captação e aplicação de recursos;

- Assessoria para a criação de legislação e normativas específicas.

 

FORMAÇÃO

Para uma efetiva implementação de políticas inclusivas de Educação e Cultura, os diferentes atores precisam de um trabalho contínuo de formação, que amplie as possibilidades de atuação ao mesmo tempo em que fornecem o suporte para a implementação das grandes estratégias e objetivos estabelecidos.

Isso requer que as diferentes modalidades de formação (cursos, oficinas, palestras, etc) contemplem os diferentes públicos, com diferentes temáticas a serem trabalhadas, cada um com realidades e demandas técnicas específicas.

 Algumas Ações Desenvolvidas:

- Portfólio de mais de 50 cursos de formação e sensibilização de diferentes instâncias dos órgãos responsáveis (Gestores, Supervisores, Diretores, Professores, Funcionários, Famílias), que subsidiam as diversas especificidades da Educação e Cultura Inclusivas;

- Desenvolvimento de conteúdos de inclusão em Educação e Cultura;

- Oficinas temáticas específicas.

 

ACESSIBILDADE

Para a inclusão efetiva das pessoas com deficiência, com autonomia e independência, é necessário que as questões de acessibilidade, na perspectiva do Desenho Universal, sejam consideradas como um eixo transversal de trabalho. Isso porque para promovermos a equiparação de oportunidades, é preciso que as pessoas com deficiência tenham acesso aos espaços físicos, à informação, à comunicação e à tecnologia assistiva.

Esse trabalho demanda, na maioria das vezes, articulação de diferentes instâncias, e requer planejamento de curto, médio e longo prazo, construindo planos e alternativas de viabilidade que levem em consideração as realidades de cada projeto. Isso possibilita que as questões de acessibilidade sejam incorporadas às lógicas e processos de gestão, garantindo a continuidade e perenidade dos projetos realizados.

Algumas Ações Desenvolvidas:

- Caracterização da acessibilidade física, pedagógica, de comunicação e de informação;

- Projetos arquitetônicos de adaptação dos espaços;

- Desenvolvimento de materiais pedagógicos acessíveis;

- Acessibilidade de bens e produtos culturais (LIBRAS, audiodescrição, material em Braille, mapas de acessibilidade etc.);

- Soluções tecnológicas em Educação e Cultura Inclusivas.

 

COMUNICAÇÃO

O desenho de uma estratégia de Comunicação possui um papel fundamental na implementação de políticas e projetos educacionais e culturais inclusivos. Isso porque, refletindo os objetivos e propostas estabelecidos, a Comunicação deve elaborar planos de implementação e acompanhamento que confiram consistência, fluidez, legitimidade e inteligência a todo processo de divulgação e disseminação de informação.

Estabelecer quais informações devem ser trabalhadas, quais canais serão utilizados para os diferentes públicos com diferentes perspectivas, como as informações podem ser utilizadas, as estratégias de disseminação dessas informações, a sistematização e produção de conhecimentos e materiais específicos, são ações que assessoramos na elaboração, implementação e acompanhamento.

Finalmente, as estratégias e ferramentas de acessibilidade para todos os tipos de deficiência para os diversos veículos de comunicação e informação devem ser estruturadas de maneira transversal a todo processo de comunicação.

Algumas Ações Desenvolvidas:

- Assessoria para o desenvolvimento de estratégias de Comunicação;

- Estratégias de construção, socialização e utilização das informações;

- Assessoria para produção, nos diferentes meios de comunicação, de conteúdos acessíveis;

- Assessoria para desenvolvimento de produtos de comunicação acessíveis para pessoas com deficiência;

- Publicações de livros, jornais, cartilhas, informativos etc.

 

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO

Pela própria complexidade e o momento histórico do trabalho com a deficiência, uma das principais linhas de atuação da implementação de práticas e políticas Inclusivas se dá no Monitoramento e Avalição. O objetivo é compreender em que medida e em que grau as intervenções realizadas, a partir da identificação de objetivos, critérios e análises críticas, foram efetivas.

O Monitoramento e Avaliação implica num processo de acompanhamento das ações realizadas e dos resultados que vão se obtendo ao longo do processo, de maneira a detectar oportunamente as dificuldades e realizar os ajustes necessários. São avaliados os processo de desenho das estratégias, formulação, racionalidade, implementação e resultados obtidos.

À medida que os resultados vão sendo obtidos, é necessário que se articulem os diferentes envolvidos e que sejam desenhadas estratégias para continuidade e aprofundamento das ações, e por fim, que essas questões sejam incorporadas à gestão das políticas e dos projetos.

Algumas Ações Desenvolvidas:

- Criação de estratégias e matrizes de avaliação;

- Desenvolvimento de instrumentos (pesquisas, grupos focais, entrevistas) que gerem indicadores quantitativos e qualitativos para consolidação das ações propostas;

- Análise e produção de Pesquisas e Relatórios. 

 

 

Diagrama dos Eixos de Atuação da Mais Diferenças

Eixos e Estratégias de atuação da Mais Diferenças.

Acesso ao Canal Mais Diferenças no Youtube Perfil Mais Diferenças no Twitter Perfil do Mais Diferenças no Facebook Perfil do Mais Diferenças no Flickr
md@md.org.br

Rua Lisboa, 445 – Cerqueira César – São Paulo – SP
Cep: 05413-000 / Fone: 55+ (11) 3881 4610