Voltar para Página Home

Notícias
Notícias Gerais

Projeto Diversos lança quatro primeiros livros acessíveis e inclusivos

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, por meio do Centro de Tecnologia e Inovação (CTI), em parceria com a Mais Diferenças, lançou no mês de abril os quatro primeiros livros acessíveis e inclusivos editados em múltiplos formatos do projeto Diversos - Livros Acessíveis e Inclusivos. "Os livros publicados, tendo como premissa os princípios do Desenho Universal, permitem que não somente as pessoas com diferentes deficiências tenham acesso à leitura, mas também aquelas com dificuldades de acesso ao texto escrito, como as pessoas com baixo letramento, os estrangeiros e o público da Educação de Jovens e Adultos", destacou Carla Mauch, coordenadora da Mais Diferenças, durante o lançamento do projeto na Biblioteca de São Paulo.

O evento contou com as presenças da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella, do Secretário de Estado da Cultura, Romildo Campello, e da diretora-executiva da Câmara Brasileira do Livro, Fernanda Gomes Garcia.

“Há alguns anos começamos a dialogar com a Mais Diferenças para termos uma iniciativa como esta: um único livro que pudesse servir a todas as pessoas com e sem deficiência. Queremos que os caminhos sejam os mesmos; pela rua que passa o andante passa a cadeira de rodas; pelo transporte que leva a pessoa com deficiência; e no aprendizado, na cultura, que ela também se valha de um único instrumento”, afirmou Linamara Rizzo Battistella, secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência.

O secretário de Estado da Cultura Romildo Campello reforçou a importância da produção e do acesso a livros em formatos acessíveis. “Este evento é um momento emblemático e trata do papel da cultura. A invenção da escrita transformou nossa espécie e permitiu a transmissão de conhecimentos de uma geração para outra por meio de prosa e de poesia. A biblioteca onde ocorre este lançamento que ser um espaço de construção autônoma de conhecimento e não dá para pensar nisso se ela não for inclusiva. Um projeto como este nos ajuda a cumprir esta missão”.

Já estão disponíveis de forma gratuita no site do CTI quatro livros infanto-juvenis: “O discurso do Urso”, de Julio Cortázar, “O menino no espelho”, de Fernando Sabino, “Uma nova amiga”, de Lia Crespo, e “Serei Sereia?”, de Kely de Castro. Alguns desses títulos fazem parte do Programa Nacional de Biblioteca na Escola (PNBE).

Com os formatos acessíveis e inclusivos, crianças e adolescentes, com e sem deficiência, podem escutar a história que está sendo contada; ouvir os sons que incentivam a imaginação; ler o texto escrito na tela; ver as imagens que estão nos livros e escutar suas descrições. Também podem ver a história ser contada em Libras, segunda língua oficial país e muito utilizada pela comunidade surda. Além desses recursos de acessibilidade, alguns livros do projeto estão sendo produzidos em Leitura Fácil – livro cujo conteúdo segue recomendações internacionais em relação à linguagem, ao conteúdo e à forma que auxiliam sua compreensão.

O acesso ao livro, à leitura e à literatura para todas as pessoas continua sendo um desafio importante, que demanda pesquisa, produção e distribuição de materiais acessíveis. Para Fernanda Gomes Garcia, da Câmara Brasileira do Livro, é possível constatar avanços no mercado editorial brasileiro. “Há um movimento no setor para que haja títulos nos formatos necessários para atender a todas as pessoas. E percebemos mais iniciativas nos últimos anos por parte de empresas capazes de publicar nesses formatos. É um desafio, mas sentimos que há uma movimentação nesse sentido”.

Um dos títulos acessibilizados nesta etapa do projeto se chama “Uma nova amiga” e a autora Lia Crespo celebrou a nova edição. “O livro trata de inclusão, da diversidade humana, das dificuldades e das potencialidades que as pessoas com deficiência têm. Seria um contrassenso que ele não fosse acessível”, afirmou.

Kely de Castro também comemorou a escolha de sua obra “Serei Sereia?” para fazer parte da iniciativa. “Nos lugares onde divulgamos o livro, esta era uma solicitação frequente. O livro é para todos e não quer ser uma história apenas para as crianças com deficiência. Queremos que as pessoas se interessem pelo livro porque é divertido e poético e que a aventura da literatura proporcione um olhar sobre esse tema”.

O projeto DIVERSOS - Livros Acessíveis e Inclusivos prevê ainda o lançamento de novos títulos em múltiplos formatos acessíveis.

Acesso ao Canal Mais Diferenças no Youtube Perfil Mais Diferenças no Twitter Perfil do Mais Diferenças no Facebook Perfil do Mais Diferenças no Flickr
md@md.org.br

Rua Desembargador Paulo Passaláqua, 86 – Pacaembu – São Paulo – SP
Cep: 01248-010 / Fone: 55+ (11) 3881 4610

7